Que tal morar em uma casa sustentável?


Painel Solar.

As pessoas que estão interessadas em um estilo de vida mais “verde”, mas quem não têm os recursos para construir uma habitação totalmente sustentável, pode melhorar a estrutura de uma construção já existente.

Por redação Pensamento Verde

Quando falamos de habitação sustentável – também conhecida por arquitetura verde –, referimo-nos aos projetos de construção ambientalmente seguros. Segundo a definição, uma habitação pode ser considerada sustentável quando a adequação ambiental, a viabilidade econômica e a justiça social são incorporadas em todas a setapas do seu ciclo de vida, ou seja, desde a fase de concepção, construção, uso e manutenção, até, possivelmente, em um processo de demolição.

Não existe um projeto padrão de construção sustentável, cada local e cada obra são únicos, mas algumas providências são importantes para quem se preocupa com a preservação ambiental. Este tipo de habitação pode, de forma total ou parcial, usar energia renovável, como a solar ou a hidráulica, para abastecer as casas ou situar a residência e as janelas de acordo com a trajetória do Sol no horizonte e o rumo do vento. Outra precaução que se pode implementar é a utilização de vidros duplos, os quais permitem que o espaço seja adequadamente iluminado durante o dia.

Uma habitação sustentável traz uma série de benefícios, como a minimização do uso de recursos naturais e da geração de poluição, o desenvolvimento da economia local e a formalidade nas relações de trabalho, o aumento da eficiência no uso de recursos financeiros na construção e valorização do imóvel pelo mercado, mais a satisfação de fazer a coisa certa. A casa ecológica, além de beneficiar o meio ambiente, garante o bem-estar de seu usuário. Afinal, quem não quer ter uma casa saudável, clara, termicamente confortável e que gaste menos água e energia?

Nos telhados verdes, por exemplo, as casas contam com vários tipos de plantas. A vegetação traz muitas vantagens para a residência, como um bom isolamento acústico que bloqueia ruídos do lado de fora. Os telhados verdes também ajudam a regular a temperatura, mantendo o local mais fresco durante o verão e quente no inverno. Eles podem ser utilizados para o cultivo de jardins com frutas, legumes ou flores, que melhoram a qualidade do ar não só para a casa, mas também para toda a área circundante.

Telhado verde, casa sustentável
Telhado Verde.

Casas subterrâneas são outro tipo de arquitetura sustentável. Estas são muito parecidas com casas tradicionais, mas são construídas parcial ou totalmente de forma subterrânea. Algumas têm telhados cobertos de musgo que se misturam com a vegetação exterior. Muitas dessas casas sustentáveis fazem uso de energia geotérmica ou do calor armazenado no interior da Terra para regular a temperatura. Apesar de estarem no subsolo, algumas dessas residências possuem janelas estrategicamente posicionadas, que permitem que a luz solar possa iluminá-las.

Certos projetos levam madeira, sendo este um ótimo exemplo de arquitetura verde. Existem muitas variações deste tipo de habitação, mas algumas são cobertas de madeira de carvalho em formato retangular. As casas de madeira são projetadas para se misturar com as árvores e podem incluir características especiais, como deslizamento de tetos de vidro e portas amplas, tudo isso para aproveitar da melhor maneira o ar livre.

Casas de vidro são geralmente apoiadas por estruturas de aço e têm paredes feitas quase inteiramente de vidro. Esse recurso permite que a luz natural aqueça toda a residência durante o dia. Diversas vezes, elas incluem painéis fotovoltaicos, que convertem a luz solar em eletricidade, podendo alimentar a casa à noite. Este sistema reduz a conta de energia elétrica e o impacto sobre o ambiente. Porém, todo o cuidado é considerado pouco, pois determinados tipos de insetos poderão ser um grande problema na sua vida.

Painel Solar.
Painel Solar.

Outro tipo singular de habitação sustentável é encontrado sob a forma de casas flutuantes. Estas casas ecológicas flutuam na água e são leves e de tamanho pequeno. Apesar de as residências flutuantes não serem muito grandes, seus projetos normalmente fazem melhores usos do espaço, tornando-as espaçosas por dentro.

Saiba que esse modelo de arquitetura não é apenas verde no seu interior, pois também é verde por fora. Isto significa que os proprietários de edifícios verdes, sejam eles comerciais ou familiares, usam pesticidas e fertilizantes naturais em vez de produtos industrializados para paisagens, gramados e jardins. Eles também são mais propensos a compostagem. Muitos proprietários vão plantar árvores e arbustos na exposição do norte para criar um quebra-vento natural e podem permitir que uma pequena parte do seu gramado cresça de maneira selvagem, a fim de proporcionar um habitat natural para as borboletas, pássaros e outros animais selvagens.

Muitos benefícios são oferecidos por esses projetos, mas o principal é a forma como ele ajuda a reduzir as emissões de poluentes. Ao optar por uma casa sustentável, você ajudará também a reduzir os gases que poluem a atmosfera.

A procura por sustentabilidade em edificações habitacionais tem avançado e isso mostra que a consciência e as exigências dos empreendedores e moradores evoluíram. Ela é um projeto em constante desenvolvimento, através de incessante inventividade e recursos tecnológicos que permitem, assim, o aprimoramento da realidade do dia-a-dia.

Deixe seu comentário

Comentário

Que tal morar em uma casa sustentável?
5 (100%) 5 votoss

Compartilhe
newest oldest most voted
Notify of
William
Visitante

Um ótimo artigo!

Parabéns!