Jardim Vertical: várias técnicas pra você fazer um


Os jardins verticais têm tomado cada vez mais espaço e tornou-se um dos queridinhos entre o paisagismo e arquitetura – não tomam tanto espaço nos projetos, e deixam linda aquela área especial da casa, que você quer pra relaxar ou bater um papo com a visita. Outro benefício do jardim vertical, é que ele não é caro, e você não precisa contratar alguém pra fazer um. Eles são também muito usados na área externa de prédios, pra dar uma nova cara àquela fachada velha e até mesmo pra impedir que a área interna receba calor.

Separamos algumas maneiras de fazer jardins verticais e apostamos que uma delas, você vai querer fazer. Confira!

 

Blocos pré-moldados

O método de bloco pré-moldado foi criado pela empresa Neo Rex. Eles existem em dois modelos: bloco de concreto fundido, com jardineiras contínuas, e o bloco de concreto socado, com jardineiras em zigue-zague. “Ambos os modelos podem ser instalados rente a muros impermeabilizados ou até sem nenhum apoio, pois os blocos têm nichos para passar vigas de sustentação” explica Roberto Hess, diretor da empresa em entrevista à Revista Natureza. Veja como eles funcionam:

Wall Green

O sistema Wall Green é vendido em kits, que deve ser montado por um sistema de encaixe e forma uma estrutura com capacidade para receber 18 plantas. O sistema modular é do tipo faça você mesmo, e você pode compor jardins verticais ou horizontais, da maneira que preferir.  A estrutura é de plástico injetado e pode ser fixada em diferentes tipos de superfícies. O vaso e o sistema de regas precisam ser adquiridos separadamente. O kit pode ser comprado pelo site da Thermogreen.

Green Wall Ceramic

A técnica da empresa Green Wall Ceramic utiliza blocos cerâmicos que podem ser fixados em paredes em muros utilizando argamassa. É necessário descascar a pintura da parede para que o bloco seja fixado mais facilmente. Após a instalação é necessário impermeabilizar o painel com produtos atóxicos, como os utilizados em reservatórios de água, para não prejudicar as plantas. As jardineiras podem ser pintadas ou receberem outro tipo de acabamento. Para painéis grandes, é necessário instalar um sistema profissional de irrigação por gotejamento.

Treliças e Vasos

Para construir este jardim vertical é necessário primeiramente chumbar uma treliça metálica à parede ou muro. Depois disso é só pendurar vasos meia lua à treliça. A treliça metálica precisa ser tratada para resistir às intempéries. Se o jardim for grande e alto, será preciso investir em um sistema de irrigação. Também pode ser utilizada a tela de alambrado, que já vem pronta e tratada, para utilizar este método.

Técnica PET

Este método, desenvolvido pelo arquiteto Marcelo Rosenbaum, reutiliza garrafas plásticas para compor um lindo jardim vertical.  A sugestão é ideal para casas que não têm grandes áreas para jardins. Além disso, se torna também uma solução para os resíduos, que deixam de ser descartados e ganham uma utilidade diferente da original. As garrafas ficam suspensas, amarradas em cordas de varais. (Ensinaremos em outro post, como fazer um jardim de pet)

Fibra de Coco

Esta técnica é perfeita para espaços pequenos como varandas e apartamentos. Por ser confeccionada por um material natural, parte dela pode ficar aparente, sem prejudicar o visual. Deve-se impermeabilizar a parede que vai receber o painel antes. O painel de fibra de coco pode ser parafusado na estrutura. A empresa Coquim comercializa as peças para todo o Brasil.

Quadro Vivo

É só escolher um local iluminado na casa e trazer o verde para dentro. O quadro é fixado com parafusos e buchas. A estrutura é vedada para evitar vazamentos e umidade, o sistema de rega pode ser computadorizado ou manual.

Fáceis, rápidos e dão uma outra cara ao ambiente. Lindos, não?

Fonte: Revista Natureza.

Deixe seu comentário

comentários

Jardim Vertical: várias técnicas pra você fazer um
Avalie este post

Ana Paula Figueiredo

Ana Paula Figueiredo

Desenvolvedora de Conteúdo, Gerente e Social Media da Be Sense Media.

More Posts - Website

Follow Me:
TwitterFacebook

Previous Rinite alérgica- como os materiais e a limpeza de casa podem minimizar as crises
Next Vida útil do travesseiro: você sabe a hora de trocá-los?

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *